KWANZA: desvalorização, depreciação, declínio petrolífero e pobreza real.

Posted by

A moeda angolana apreciou-se hoje ligeiramente frente à europeia, mantendo-se em mínimos históricos, há quatro dias, face ao dólar, transacionando-se hoje a 384,602 Kwanzas/Euro e 340,687 Kwanzas/Dólar, indicam dados do Banco Nacional de Angola (BNA).

A 10 deste mês, segundo o banco central angolano, a moeda angolana atingiu o valor mais baixo de sempre, ao situar-se nos 385,044 Kwanzas/Euro, o mesmo sucedendo, no mesmo dia, em relação à norte-americana, cujo câmbio se tem mantido desde então.

Desde 09 de Janeiro de 2018, quando as autoridades de Luanda puseram termo à taxa de câmbio denominada como fixa, mas que também já havia sofrido alterações, e começaram a vender aos bancos comerciais as divisas em leilão, primeiro trissemanais e atualmente diárias, o Kwanza já se depreciou 51,794% face ao Euro e 51,298% em relação ao Dólar.

Em janeiro de 2018, um euro equivalia a 185,4 Kwanzas, enquanto um Dólar se transacionava a 165,92 Kwanzas.

Em janeiro, mas deste ano, um euro equivalia a 352,828 Kwanzas, enquanto o Dólar era transacionado a 310,158 Kwanzas.

Hoje, no mercado paralelo, o euro transaciona-se entre os 520 e 540 Kwanzas, enquanto o Dólar se situa entre os 440 e 460.

Alguns indicadores económicos:

De Janeiro de 2018 a Junho de 2019, a moeda angolana perdeu 105% de capacidade compra face ao Dólar e 107,7% face ao Euro, isto porque na data referida, 100 Dólares equivaliam a 16.592 Kwanzas e 100 Euros eram trocados por 18.540 Kwanzas.

Quando se compara o preço do barril de petróleo vendido pela OPEP, constata-se que este variou positivamente em 22,17% de 52,51 Dólares em 2017, para uma média nos 5 primeiros meses de 2019 de 64,15 Dólares.

As Reservas Internacionais Liquidas mesmo perante uma perda de poder de compra de mais de 100% tendo em conta o preço da moeda, sofreram uma redução de -40%, quando comparado o ano de 2017 a 2019 (Junho).
Se no mesmo exercício for removida a injeção do FMI, o saldo é de -47%
. – vide Cid. Intelligence Unit, Relatório sobre a Política Monetária – Um Modelo Alternativo (edição restrita).

Por último, o declínio petrolífero verificado pela comparação semestral. A título de exemplo e contabilizando fontes secundárias, nos primeiros cinco meses de 2017, Angola produziu em média 1,633 mbpd, em 2018 o montante de 1,544 mbpd, e em 2019, o país africano apresentou a cifra de 1,439 mbpd. Verifica-se uma redução de -12% de 2017 a Maio de 2019. – vide Cid. Intelligence Unit, Relatório Sobre a Economia e Gestão do Sector Petrolífero Angolano (edição restrita).

A actividade informal no que consta a oferta de moeda externa, produtos e serviços vence diariamente a batalha perante o mercado formal, tendo em conta a existência, quantidade, velocidade e estabilidade.

Fonte: Lusa, Cidadela

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.