FMI: Cortes nos subsídios, aumento do preço da água, energia elétrica, transportes, combustíveis.

Posted by

O Fundo Monetário Internacional (FMI) completou na quarta-feira a primeira revisão da aplicação do programa de reformas acordado com o Governo de Angola e aprovou um novo financiamento de 248,15 milhões de dólares (219,7 milhões de euros.

Tendo como base o documento emanado pela equipa do BFA, de realçar o seguinte:

  • No que toca aos subsídios, tendo já cumprido o ajuste dos preços da água em Agosto de 2018, são mencionados os aumentos dos preços do combustível de aviação Jet A-1, dos preços da electricidade, e dos transportes, a ser aplicados até ao final de 2019 – os dois primeiros foram alterados, sendo já aplicados na 2ª metade do ano.
  • Quanto ao preço dos combustíveis refinados, deverá ocorrer, segundo o Programa, um aumento gradual, a começar ainda em 2019. Tal como mencionado no acordo inicial, serão afectados o gasóleo e a gasolina, sendo possível também ajustamentos no GPL e no querosene, numa fase posterior.

O FMI aprovou um acordo de três anos com Luanda em 07 de dezembro de 2018, no montante de 3,7 mil milhões de dólares.

Em declaração que acompanha a informação, foi adiantada a consideração de que “as autoridades angolanas têm demonstrado um compromisso forte com o programa apoiado pelo fundo”.

Contudo, relativizou-se, “um enquadramento externo enfraquecido, designadamente a crescente volatilidade do preço internacional do petróleo, está a desafiar os esforços reformistas”.

Mas para o FMI o executivo angolano respondeu da forma adequada, ao aprovar um orçamento conservador para 2019.

Fonte: DN, Lusa, BFA Nota Informativa.

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.