AGRONEGÓCIO: empresa angolana “Vida Rural” investe na Ganda.

Posted by

De iniciativa da empresa angolana “Vida Rural”, o projecto pretende ajudar os agricultores locais na melhoria da planificação e organização do processo de produção agrícola, para se evitar ao máximo os prejuízos e ajudá-los na criação de renda e de postos de trabalho.

Em declarações à Angop, o sócio-gerente da referida empresa, Rui Magalhães, disse que a fazenda foi criada para servir de campo de demonstração, concentração de imputes agrícolas e de treino dos agricultores associados, ou não, em várias cooperativas de produção na região.

“Dentro da nossa fazenda, os agricultores não aprendem apenas sobre o processo de produção, mas também de organização em cooperativas, visando uma melhor interacção com a banca e com o próprio estado, quando recorrerem a estes entes”, disse.

A empresa aposta também na inovação, através da criação de uma plataforma digital para juntar produtores e compradores.

Por outro lado, disse que para a presente época agrícola, a “Vida Rural” já preparou 40 hectares, igualmente na área da Chimboa, que contam com um sistema de irrigação moderno para produção, sobretudo, de hortaliças e legumes.

“ Vamos produzir tomate, pimento, pepino e outras leguminosas, que serão posteriormente fornecidos a grandes superfícies comerciais da província”, disse.

Com efeito, avançou, decorre a preparação dos solos e sua correcção, para que, até 15 deste mês, possam começar com as plantações, estando a primeira colheita reservada para os meses de Outubro e Novembro do corrente.

O gerente informou ainda que dentro dos próximos 20 dias será concluído um armazém para comercialização de imputes agrícolas, visando o apoio ao desenvolvimento da produção agrícola na região.

Entretanto, o administrador municipal da Ganda, Francisco Prata, aplaudiu a iniciativa e convidou outros investidores a aportarem à região, pois, possui terras aráveis e outras condições para o fomento da actividade agrícola.

Apontou a reabilitação das vias rodoviárias e de algumas pontes de acesso as comunas e povoações como prioridades do Programa Integrado de Intervenção Municipal (PIIM), cujas obras devem arrancar dentro de dias, com vista a permitir as trocas comerciais e o escoamento da produção do campo à cidade.

Fonte: Angop

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.