O futebol angolano vive um momento de grande crise após prestação da seleção nacional no CAN 2019. A situação irá arrastar-se, no mínimo, durante um mês, podendo provocar a saída de toda a equipa técnica e do presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida.

Várias associações provinciais, clubes e senadores ligados ao desporto posicionam-se de modo a por termo a um consulado conturbado e agora o expoente máximo da desorganização. Poderá ocorrer uma saída em bloco.

Segundo fonte federativa, embora Artur Almeida continue a utilizar todos os argumentos para tentar arregimentar e convencer aliados para a sua continuidade até novas eleições, a agitação por fora e dentro daquela organização não mais é controlável, esperando os elementos que ocorra uma saída pacífica e ordeira e se inicie uma transição que garanta a Angola lugar no Mundial no Catar.