O petróleo mantém a tendência de alta depois de ter registado uma forte valorização na sessão de quarta-feira. O mercado de Londres, o Brent do Mar do Norte para entrega em setembro sobe 0,3% para 67,21 dólares, tendo atingido máximos de 30 de maio. O contrato de agosto do West Texas Intermediate (WTI), crude de referência para os EUA que é negociado em Nova Iorque, soma 0,36% para 60,65 dólares por barril.

Um dos motores desta subida esteve na divulgação dos stocks de crude nos Estados Unidos, que desceram fortemente. De acordo com o Departamento de Energia dos EUA, as reservas de crude da maior economia do mundo caíram em 9,5 milhões de barris na semana passada, para o mais baixo nível desde abril.

Também o facto de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter dito que irá intensificar “substancialmente” as sanções ao Irão ajudou a impulsionar as cotações do crude. Um terceiro fator está numa tempestade sobre o Golfo do México, que obrigou à retirada de trabalhadores das plataformas de prospeção offshore (no mar).

Fonte: Jornal de Negócios.