Abrantes Carlos realçou tal facto durante a exposição de gado bovino,  decorrida no Centro de Multiplicação Genética e Melhoramento Animal, da comuna da Calenga, 33 quilómetros da cidade do Huambo, em paralelo com a primeira edição da feira de produção local, aberta quinta-feira, na capital do planalto central.

Diante da governadora Joana Lina, o director da agricultura informou que o sector que dirige vai, a partir deste ano,  apostar na recuperação e revitalização dos agentes económicos com projectos empresariais na área da pecuária e, por conseguinte, aumentar a produção da população bovina.

Abrantes Carlos referiu que o Gabinete da Agricultura e Florestas criará igualmente um programa de redinamização da criação bovina e sua repovoação nas comunidades rurais, de acordo com as potencialidades que apresentam, além do incremento de projectos empresariais no ramo da pecuária.
 
O programa, segundo o responsável, abrange a protecção das áreas de pastos e a definição de  políticas concretas de incremento ao gado bovino para a atracção animal e, ao mesmo tempo, incentivar o sector empresarial local a apostar cada vez mais na agro-pecuária, para fazerem face aos desafios do aumento da produção nacional.

O sector da Agricultura na província do Huambo, que possui uma extensão territorial de 35.771 quilómetros quadros, controla um efectivo estimado em mais de 100 mil cabeças de gado bovino, em posse de cinco mil criadores, entre familiares e empresários.

O Centro, criado há 15 anos para fomentar a produção bovina, traduzida em ensaios de inseminação artificial, transferência de embrião e fertilização in-vitro, conta com a parceria dos institutos de Investigação Veterinária (IIV) e dos Serviços de Veterinária (ISV), bem como as universidades Agostinho Neto (UAN) e José Eduardo dos Santos (UJES), tendo em conta a necessidade de se alavancar o desenvolvimento da pecuária no país.

A feira de produção local, numa iniciativa do Governo da província, em parceira com a Câmara de Comércio e Indústria, visa, entre outros, fomentar o agro-negócio e a pecuária da região, em função das potencialidades de cada município.

Fonte: Angop.