Em 2016, José Miguel Júdice foi convidado para representar, numa arbitragem, a empresa Unitel, detida por Isabel dos Santos.

No espaço de comentário “As Causas”, na SIC, o advogado garantiu que, no tempo em que trabalhou com a empresária angolana, ela “nunca pediu nada de ilegal” e que “nunca” viu que Isabel dos Santos “estivesse a utilizar fundos públicos”. Sobre o processo Luanda Leaks, o comentador da SIC reitera: “estamos muito longe de saber tudo”.

Disse o comentador que em 1999 nenhuma companhia queria investir nas telecomunicações em Angola e que não é verdade que a empresária angolana tenha utilizado fundos públicos para investir em Portugal. Júdice relembra que Isabel dos Santos financiou as suas operações recorrendo a lucros e dividendos e nunca a fundos públicos, pelo menos até 2016.

O advogado pede ainda “mais prudência” porque “os factos não são conhecidos”.