N’gunu Tiny: Menino de ouro das finanças angolanas, em alta nos Emirados Árabes Unidos

Posted by

O Xeque Hamad Al Nahyan tornou-se o novo parceiro empresarial do financeiro Angolano N’gunu Tiny.

N’Gunu Tiny – um banqueiro bem relacionado nos círculos políticos Angolanos e filho de Carlos Tiny, ex-ministro das Relações Exteriores de São Tomé – deu o pontapé de saída nos Emirados Árabes Unidos, com o Xeque Hamad bin Khalifa bin Mohammed Al Nahyan, um parente distante da família governante de Abu Dhabi. A 22 de Abril, lançou uma joint venture chamada HBK Emerald Investments, apoiada pela sua empresa de consultoria e investimento (Emerald Group) e pelo escritório da família do Xeque, o Departamento de Projetos da HBK.

Tiny, um advogado que se tornou financeiro, mantém laços estreitos com o governo Angolano. De 2011 a 2012, chegou mesmo a ocupar uma posição oficial como membro do conselho da Comissão de Valores Mobiliários de Angola.

A Emerald investe principalmente nos domínios financeiro e petrolífero, nos quais Tiny passou parte da sua carreira (Africa Intelligence, 29/11/16). No sector bancário, o Angolano, presidiu a Assembleia Geral anual do Finibanco de 2011 a 2013 e, de 2016 a 2018, actuou como presidente do agora extinto Banco Postal, do qual o Estado era accionista. Em Janeiro de 2019, pouco menos de um ano após a renúncia de Tiny, o Banco Postal encerrou as suas actividades quando o Banco Central revogou a sua licença, alegando que o banco possuía capital próprio insuficiente.

Tiny criou o seu próprio veículo de investimento, o Banko Financial Group (BFG), em Outubro de 2019. Com escritórios em Nova York e Londres, essa subsidiária da Emerald investe no sector bancário Africano e procura também desenvolver serviços bancários on-line. Deposita todas as suas esperanças no Makeba, um sistema de pagamento móvel voltado para a diáspora africana nos Estados Unidos e na Europa, na qual a Emerald investiu.

Na área de consultoria, Tiny é director e sócio da Optimal Investments, empresa sediada em Portugal e também de propriedade da Emerald. Em 2012, fundou a Eaglestone, no Reino Unido, que tem um grande interesse em Angola, Moçambique e Portugal, embora o próprio Tiny se tenha retirado da empresa depois de apenas um ano, em 2013.

Tal como a Emerald, esta sua nova subsidiária investirá em finanças, petróleo e infraestruturas – neste último caso, com  os seus novos patrocinadores nos Emirados. É provável que receba apoio da Autoridade Árabe de Investimento e Desenvolvimento (AIDA), uma empresa privada com sede no Dubai que também é administrada pelo Xeque Hamad bin Khalifa. Embora seja um membro da família real de Abu Dhabi, o Xeque não desempenha um papel central na política e está à procura de um nicho no continente através de parceiros privados, como o seu homólogo Xeque Ahmed bin Dalmook Al Maktoum,  no Dubai (Africa Intelligence, 23/10/19).

A HBK Emerald Investments deverá coordenar os seus investimentos com o novo Banco de Tiny, o “Banko Financial Group”, e a GoChain, uma empresa Americana presidida pelo Xeque, que oferece serviços corporativos de tecnologia blockchain – um sector no qual a HBK Emerald deseja investir. Em Outubro passado, a empresa Americana e o Departamento de Projectos da HBK estabeleceram uma joint venture chamada HBK-GoChain para desenvolver novos serviços financeiros nos Emirados Árabes. Essa entidade, por sua vez, lançou a sua própria joint venture – uma troca de activos criptográficos no Dubai chamada Arabian Bourse – com a GMEX. Essa última firma é propriedade da Hirander Misra, que também é hiperactiva no sector de moedas virtuais em África.

Fonte: Africa Intelligence

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.