A maior empresa de media cotada em Hong Kong, a Next Digital, viu as suas ações dispararem 344% na sessão desta segunda-feira, depois de o presidente e fundador Jimmy Lai ter sido detido pelas autoridades e as instalações de um dos seus jornais mais importantes, o Apple Daily, terem sido alvo de buscas.

Durante a manhã, os títulos da Next Digital chegaram a perder 17% e a atingir um novo mínimo histórico, para depois dispararem 344% à tarde, e alcançarem o valor mais elevado desde junho do ano passado.

Segundo a Bloomberg, não é totalmente claro o que motivou a escalada das ações, mas parece ter havido uma espécie de campanha a favor da empresa nas redes sociais, que terá contribuído, em grande medida para a valorização.

Uma publicação no Facebook feita por um autodenominado escritor financeiro que inclui um “screenshot” a mostrar a compra de 1,22 milhões de ações da Next Digital tem mais de 5 mil ‘likes’ e 300 partilhas.

Ao mesmo tempo, páginas relacionadas com os protestos em Hong Kong apelaram à compra de ações.

“Definitivamente, não são investidores institucionais que estão a comprar as ações”, disse Steven Leung, diretor da UOB Kay Hian, citado pela Bloomberg. “Vejo que muitas ordens foram dadas através do Futunn, um grande portal para investidores em ações de retalho. Muitos podem estar a especular que a empresa será vendida”.

Outras empresas de media de Hong Kong também registaram fortes ganhos na sessão de hoje, como a One Media Group, que valorizou um máximo de 48%.

Fonte: OJornal de Negócios