O secretário-geral do MPLA, Paulo Pombolo, afirmou, em Luanda, que o MPLA é a organização política mais interessada na realização das autarquias no país e principal mentor no processo da sua organização.

“Quem ainda duvida da disposição do partido em relação ao processo autárquico é apenas por má-fé”, afirmou no sabado, Paulo Pombolo, no encerramento da 6ª Conferência Extraordinária do MPLA, que elegeu Joana Lina para primeira secretária do MPLA em Luanda.

Paulo Pombolo lembrou que “o MPLA tem obrigações e a consciência de que o país conhecerá este momento”.

Afirmou que “podem tentar agitar a população contra as acções do Executivo, transportar as pessoas de um lado para fazerem manifestações em locais onde não residem. A resposta do MPLA é o trabalho e realizações que visam desenvolver o país”, sublinhou.

O secretário-geral do MPLA lembrou que o partido, os militantes e simpatizantes estão atentos. Defendeu, por outro lado, o reforço das visitas de ajuda e controlo pelas estruturas e organizações sociais do partido.

Paulo Pombolo defendeu que os organismos do partido devem redobrar os trabalhos com agilidade, inteligência e habilidade.

O político defendeu, também, a divulgação das principais realizações do Executivo, bem como a necessidade de serem melhoradas a aplicação dos recursos e manter o diálogo aberto e franco com os cidadãos e fazedores de opinião.

Luanda conta com a juventude

A primeira secretária do MPLA em Luanda, Joana Lina, eleita sábado último, prometeu contar com o apoio da juventude nas missões partidárias. “O MPLA sempre arriscou na juventude”, afirmou Joana Lina, salientando que actualmente sente-se a força e a pujança juvenil nos vários sectores da sociedade.

Joana Lina disse que o MPLA teve sempre uma direcção “forte e firme” e uma visão do país adequada à realidade de cada momento, superando obstáculos, dificuldades e constrangimentos.

Fonte: Angola24horas